quarta-feira, agosto 02, 2006

Recuperação do tempo perdido – actualização desde o fim-de-semana de 22 de Julho – Aviso: Este post é um pouco extenso!!!!!

O fim-de-semana tinha corrido bem, embora já tivesse perdido as esperanças de ter um parto natural, apesar de ter feito inúmeras caminhadas à noite e durante o dia.
No domingo tínhamos ido ao shopping e nada de sentir “dores” tal como a minha mãe tinha sentido, e como o tempo de gravidez era semelhante ao da minha mãe achei eu que teria os mesmos sintomas.
Fomos jantar à casa da minha sogra e lá tive uma cólica muito grande.
Depois à noite fomos dar uma volta no paredão. Na ida tudo bem, no regresso deu-me uma fraqueza muito grande, que deduzi que fosse uma quebra de tensão. Cheguei a casa e deu-me vontade de comer um gelado. Mal terminei, senti que estava a ficar molhada, fui a correr para a casa de banho e apercebi-me que me tinham arrebentado às águas. O Amaro ficou delirante. Eu fui tomar uma banhoca rápida e o Amaro também. Lá fomos nós para a maternidade, deviam ser umas 11h30. Entramos pelas urgências e fui transportada em cadeira de rodas. Disseram que era norma. Entretanto o médico examinou-me, e a parteira viu-me a dilatação. Tive que despir a roupa, e vestir uma bata e uma fralda (uma super fralda), e colocaram tudo numa saca que entreguei ao papá.
Entretanto deram-nos uma notícia em que ficamos um pouco tristes – o papá não poderia assistir ao parto por razões de segurança. E pronto tivemos um tempinho para a despedida. De seguida o papá foi embora!!! Sniff!!!!
A parteira perguntou-me se queria epidural, ao que eu respondi afirmativamente, e lá veio a médica anestesista e colocou-me o cateter, mas não me colocou nenhuma dose. Já sentia as contracções, com uma periodicidade de 5 min, mas a dor ainda era suportável. À 1h da manhã lá vieram colocar a primeira dose, e estive no lado direito, de seguida passados 5 min colocaram uma nova dose e virei-me para o outro lado.
A partir daí as dores não se sentem, e fico sozinha num quarto, com a companhia do cardiotocografo, ouvindo o coraçãozinho do nosso menino.
Às 3h da manhã uma nova dose, visto que tinha avisado a parteira que sentia uma dorzita no fundo das costas. Esta foi ministrada de barriga para cima. Entretanto às 5h volto a chamar a parteira, porque já sentia umas dores diferentes. Ela não veio logo, quando chegou disse que já estávamos prontas para o período expulsivo, já tinha a dilatação completa, ao que eu respondi “Já!!!”.
E lá iniciamos o trabalho, e ia por em prática os cursos de preparação para o parto. Mas na altura de puxar é um pouco diferente das aulas!!! Temos que puxar exactamente como se estivéssemos na casa de banho. Entretanto há uma altura que parece já não termos mais fôlego e só nos dizem – “Um ultimo esforço, que já ejo o cabelo”. De repente arranjamos uma força não sei de onde e ouvimos – “Já está!!” – e uma pessoa pensa, “Já!!”. O trabalho de parto é mesmo uma mistura de sentimentos e de sensações completamente diversas. Entretanto colocaram o meu menino ao meu colo e perguntaram se queria cortar o umbigo. Como o papá não estava lá tive todo o gosto de cortar. O primeiro comentário quando vi o meu bebé foi de dizer que ele era lindo. Liguei de seguida para o papá que não deve ter dormido nada, meio ansioso e impaciente de estar ao nosso lado. E voltei a dizer-lhe que o nosso filho era mesmo lindo!!!
Entretanto levaram o menino para ser tratado.
A parteira passou a tratar de mim. Tirou-me a placenta, que saiu de uma vez só e passou a fazer-me os pontos. Levei uns internos e três externos.
Voltaram a trazer-me o bebé, e lá estava ele todo arregalado a olhar para mim. Tão lindo!! Entretanto puseram-me à mama. E de referir que o meu filhote tem um poder de sucção fenomenal, mas é um pouquinho trapalhão!!!
As 8h30 da manhã entrou o papá babado para nos ver. Ele teve uma reacção de surpresa, mas desde esse momento, aquilo que ele mais repete é que “o nosso filho é mesmo bonito”. Escusado será dizer que somos dois pais babados. Entretanto também tinha chegada a minha médica obstetra que ficou muito contente por ter sido o parto normal, e que tinha pensado em mim durante a semana, mas que também achava que teria que ser provocado visto não ter ligado.
Passaram-me para a zona dos quartos, numa maca. Isso é que é uma entrada e uma saída em beleza, e o papá com o filhote!!! Babados, que nós somos!!!!
Entretanto avisei a minha mãe que ela já era avó, visto não ter conseguido falar com ela no domingo à noite. E ao meio-dia, quando iniciaram as visitas lá veio ver o neto, e a madrinha também. E depois foi receber visitas e chamadas de muitos familiares e amigos, que aqui desde já agradeço por todo o carinho demonstrado!!!!
Uma das partes piores da estadia na maternidade foi o calor extremo, e as idas à casa de banho, por causa da limpeza e tratamento dos pontos.
O corpo técnico do hospital foi fenomenal e só tenho a dizer bem das pessoas. Um muito obrigado a todos!!!!!
E foi assim, passamos dois dias, tendo alta na quarta-feira ao 12h.

1 comentário:

Rosinha disse...

Que giro Sandra, parece que estive a teu lado na altura do parto, descreves-te toda a situação com muitos pormenores, muito fixe.
Beijinho, Rosinha